Cultura do pessimismo e os vampiros da vida real!

Cultura do pessimismo e os vampiros da vida real!

Quantas vezes você falou para si mesmo ou esbravejou em alto e bom tom: este mundo não tem mais jeito. Esse desabafo, que muitas vezes vem acompanhado de catarse, choro, explosão gestual, desânimo ou prostração, sim pode ter uma motivação real. Notícias catastróficas, algo ruim que tenha acontecido com ou perto de você, lhe farão ver o mundo como algo complexo e negativo. Um espaço físico ruim de viver e sem solução. Falar ou pensar desta forma esporadicamente faz parte dos altos e baixos da vida cotidiana.

Mas atenção, se esta frase tem sido uma constante na sua vida, avalie se você não está convivendo com um ou vários “vampiros da vida real”.

Quem são esses vampiros? Os pessimistas crônicos.

O pessimismo definido na língua portuguesa como tendência para ver e julgar as coisas pelo lado desfavorável; disposição de quem sempre espera pelo pior, tem sua base filosófica na teoria do alemão Arthur Schopenhauer (1788-1860) e em seus seguidores. O filósofo descreveu uma doutrina metafísica ou moral segundo a qual os aspectos maus ou negativos da existência superam os bons ou positivos.

Para a psicologia, o pessimismo pode ser um sintoma de doenças como a depressão. Os pensamentos e as manifestações pessimistas, neste sentido, podem refletir a existência de um transtorno emocional que se caracteriza pelo abatimento e pela infelicidade.

Conviver com pessoas com essas características é metaforicamente falando uma luta vampiresca, pois elas não sugam seu sangue, mas sugam sua energia, sua alegria, sua produtividade.

Qual a solução?

Primeiro saiba que se o mundo tem jeito ou não, depende também de você. Seja protagonista, ou no mínimo atuante da vida, não um expectador de um espetáculo com tendência para a tragédia. Faça sua parte para construir um mundo melhor, uma vida saudável e feliz.

Se o vampiro que suga sua energia é inevitável, alguém que você não vai romper, mudar ou abandonar, faça uma blindagem, se cuide, se fortaleça, não deixe se contaminar, separe o que é seu de bom e compartilhe com pessoas que estejam na mesma sintonia.

Tenha fé, esperança e cultive a alegria de viver.

Como citou Eisenhouwer: “O mundo pertence aos otimistas. Os pessimistas são meros espectadores.”

Comentários: 2

  1. luiza disse:

    muito bom esse site parabéns pelo trabalho. 🙂

Adicione seu comentário