As múltiplas inteligências

As múltiplas inteligências

As múltiplas inteligências e a diversidade de aprendizado. 

Tudo começou quando uma equipe de estudiosos da Universidade de Harvard, comandada pelo psicólogo Howard Gardner, cunhou o termo “múltiplas inteligências” e passou a divulgar que os tradicionais testes de Q.I. não eram suficientes para avaliar todas as habilidades cognitivas do ser humano. Segundo Gardner as inteligências são:

Inteligência Linguística

Pessoa que aprende novas palavras e novas línguas com facilidade. Lê provavelmente tudo o que lhe cai nas mãos e, em geral, escreve bem. Gosta de inventar e contar histórias e tem uma memória excelente para decorar poemas, versos e até ditados triviais. Costuma se lembrar facilmente de datas, nomes e lugares. Tem facilidade com atividades que exigem comunicação, como debates e palestras.

Inteligência Lógica e Matemática

Pessoa que gosta de tudo que envolva raciocínio lógico e tem aptidão natural para resolver problemas numéricos. Crianças que gostam de fazer experiências a fim de compreender certos princípios, como jogos de química, feiras de ciência, etc. Aprendem melhor por meio de estratégias e enigmas.

Inteligência Espacial

Pessoas que ao visitarem uma cidade uma única vez, logo se situam nela e deslocam-se com facilidade, dispensando até mesmo o GPS.Crianças que passam horas brincando com blocos de montar, que saem primeiro de um labirinto e terminam rapidamente um quebra-cabeça.Pessoas que preferem colocar uma ideia ou um conceito no papel a verbaliza-los. Deliciam-se com mapas e diagramas, e os compreendem rapidamente. Aprendem melhor por meio de imagens e figuras.

Inteligência Musical

Pessoas que costumam cantarolar a toda hora e conseguem aprender uma melodia ao ouvi-la uma única vez. Tem um gosto musical apurado, com preferências e rejeições muito claras – tocar um instrumento não deve ser problema. Tem sensibilidade aos sons do ambiente, desde o da água corrente até o canto de um pássaro. Gostam de estudar e trabalhar com música de fundo. Aprendem melhor por meio de sons não verbais e ritmos.

Inteligência Corpóreo Cinética

Pessoas com ótima coordenação motora que costumam se destacar nos esportes e nas atividades manuais. Também são capazes de imitar gestos e maneirismos de outras pessoas. Demonstram necessidade de tocar nos outros para se comunicar e estão sempre se movimentando, remexendo e batendo com os pés e as mãos. Aprendem melhor por meio do movimento e da representação.

Inteligência Interpessoal

Pessoas que tem facilidade em se relacionar. São populares, vivem cercados de amigos e tem forte tendência a liderança. Tem talento para intuir os sentimentos alheios, e isso faz com que se sobressaiam em atividades coletivas e trabalhos de equipe. Possuem empatia e geram confiança. Aprendem melhor ao se envolver em atividades de grupos.

Inteligência Intrapessoal

Pessoas independentes que preferem seguir os seus próprios interesses e ideias, interagem pouco com grupos para realizar suas aspirações e metas. Seguem um estilo todo próprio de se vestir, comportar-se e agir. Tem profundo senso de valor pessoal, opiniões firmes, geralmente baseadas em experiências reais. Aprendem melhor por meio da experiência e dos fatos.

O entendimento desta diversidade de aprender e se desenvolver evoluiu para o importante conceito de Daniel Goleman, a Inteligência Emocional. Um indivíduo emocionalmente inteligente é aquele que consegue identificar as suas emoções com mais facilidade.

Entre as características da inteligência emocional está a capacidade de controlar impulsos, canalizar emoções para situações adequadas, praticar a gratidão e motivar as pessoas, além de outras qualidades que possam ajudar a encorajar outros indivíduos.

Surge recentemente o conceito de Inteligência Relacional, a qual, segundo especialistas, “procura entender os perfis das pessoas e como elas agem de forma individualizada para que, a partir disso, seja possível perceber de que forma cada ser humano deve ou pode se relacionar com outras pessoas”.

Acredito que quanto mais entendermos o funcionamento da mente humana, mais perto estaremos de propiciar a felicidade e tratar disfunções comportamentais.

Qual sua inteligência predominante?

A partir dela identifique talentos, os desenvolva e trabalhe seus pontos fracos.

Sucesso!

Nenhum comentário

Adicione seu comentário